skip to Main Content

Biópsia de medula óssea: para que serve e como é feita

Médico Fazendo Uma Biópsia De Medula Ossea
Compartilhe

Esse exame é fundamental para pacientes com cânceres hematológicos, mas também pode ser usado para tumores sólidos

Escrito por:

Natália Mancini

A biópsia de medula óssea é um exame no qual é retirado um fragmento do osso da bacia, por exemplo, para análise. Ele é utilizado para diagnosticar e determinar o estadiamento de alguns cânceres, além de também servir para avaliar se o tratamento realizado está apresentando resultados ou não. Em geral, não há contraindicações para a realização dessa análise e ela pode ser feita em pessoas de qualquer idade.

Para que serve a biópsia da medula óssea?

Esse exame “tem como papel diagnosticar e definir o estágio (extensão) de doenças”, explica a Drª. Paula Vanessa de Oliveira, hematologista especializada em transplante de medula óssea do Oncologia Américas.

Quais Doenças A Biopsia De Medula Ossea Diagnostica

A Drª. Paula conta que, geralmente, os médicos indicam a realização desse teste quando há a presença de alguns sinais e sintomas. Por exemplo:

  • Anemia sem causa aparente
  • Aumento ou diminuição dos leucócitos
  • Aumento ou diminuição das plaquetas
  • Linfonodos aumentados e/ou
  • Esplenomegalia (baço inchado/aumentado)

Para quais doenças

De acordo com com a médica, a biópsia de medula óssea pode ser usada para diagnosticar e estadiar:

A Drª. Paula fala também que o exame é indicado para analisar se o tratamento está tendo o efeito esperado no caso de algumas doenças onco-hematológicas, por exemplo, nas leucemias agudas.

Leia também:

Como é feita a biópsia da medula óssea?

A especialista explica que o exame deve ser feito em ossos longos, como a bacia, esterno, tíbia e fêmur. Isso acontece porque eles possuem uma quantidade maior de tecido hematopoiético, além desse tecido também estar mais acessível nesses locais. Entretanto, o mais comum é que a biópsia seja feita na crista-ilíaca posterior, ou seja, na parte posterior no osso da bacia.

Como é Feita A Biópsia De Medula óssea

Ela descreve que o paciente fica em decúbito lateral (deitado de lado com ambos os braços para frente e os joelhos e quadris flexionados) ou decúbito ventral (deitado de bruços) para a realização do procedimento.

Depois, é feita a higienização do local do corpo e é utilizada uma agulha para biópsia de medula óssea apropriada para coletar o pedaço do osso que irá para a análise.

O exame “costuma ser realizado com anestesia local, mas também pode requerer sedação, principalmente quando crianças necessitam ser submetidas ao procedimento. Sendo que o tempo de realização pode variar de 30 a 60 minutos, de acordo com necessidade, ou não, de sedação”, a Drª. Paula informa.

Após a coleta, o material é enviado para o laboratório de Anatomia Patológica, que avalia a arquitetura e o conteúdo celular da medula e se há infiltração de células doentes.

Leia também:

A biópsia de medula óssea dói?

“Quando é realizada com anestesia local, pode haver algum desconforto no local da punção. Entretanto, é tolerável e facilmente manejado com analgésicos comuns”, a médica responde. 

Diferença entre mielograma e biópsia de medula óssea

A Drª. Paula Vanessa de Oliveira esclarece que no mielograma é feita a análise do conteúdo líquido da medula óssea e é avaliada a quantidade e morfologia das células. Já na biópsia, é coletado um fragmento do osso para avaliar a arquitetura da medula e a forma e a estrutura das células. 


Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Boa tarde. A semana que vem irei fazer uma Biópsia de Medula e estou tensa pois nunca fiz esse tipo de procedimento, assistindo esse vídeo achei bem esclarecedor e tenho certeza que tdo vai dá certo. Obrigada por essa informação e tranquilidade da médica para esclarecer.
Um abraço.
Fátima Santana

Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top