skip to Main Content

É possível tratar a leucemia em idosos

É Possível Tratar A Leucemia Em Idosos

São necessários alguns cuidados extras, porém o controle e até a cura da doença são possíveis

Por Natália Mancini

A leucemia em idosos, pessoas acima de 60 anos, pode ter uma evolução mais agressiva e resultado do tratamento mais complexo. Apesar disso, atualmente,  devido ao avanço da ciência, há uma série de terapias que podem curar ou controlar a doença. Assim, grande parte das pessoas desse grupo podem e devem ser tratadas. 

Antes de mais nada, é importante relembrar que a leucemia é um câncer que acontece na medula óssea quando as células, ao se multiplicarem, sofrem uma mutação genética e passam a se reproduzir de forma descontrolada. A produção de um clone, célula do câncer, chamada, nesse caso, de blasto, torna ineficientes a fabricação das células normais.

O Dr. Philip Bachour, onco-hematologista do Centro Especializado em Oncologia  do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, conta que a leucemia mais comum em idosos é a leucemia mieloide aguda (LMA).

“Em boa parte dos casos, ela pode ser precedida de uma doença chamada síndrome mielodisplásica.  Esclareço que a mielodisplasia é uma doença muito heterogênea. Antigamente, chamada de pré-leucemia e, por vezes, de anemia do idoso. Certamente, nenhum destes  nomes é adequado”, ele comenta. 

Quando a doença aparece nessa população, ela acontece de forma diferente quando comparada aos adultos e jovens. Isso acontece, principalmente, devido às características citogenéticas e moleculares das células cancerosas.

No caso das leucemias agudas, LMA e leucemia linfoide aguda (LLA), o médico diz que essas alterações atribuem características mais agressivas à evolução do câncer. Além disso, também pode significar uma maior resistência aos tratamentos.

“Outro problema que impacta no resultado do tratamento são as doenças associadas à idade e disfunções orgânicas, comuns nesse grupo. Tornando-os frágil e, por vezes, impedem tratamentos mais intensos necessários para aumentar as chances de cura”, o hematologista explica.

Sintomas da leucemia em idosos

 leucemia em idosos, leucemia idosos tem cura, leucemia tem cura em idosos, sintomas da leucemia em idosos, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, tratamento da leucemia aguda no idoso, tratamento de leucemia crônica em idosos, manchas roxas no corpo, anemia do idoso, tratamento da leucemia, Qual o tratamento feito para leucemia em idosos?, Quais os sintomas da leucemia em idosos?, quimioterapia aos 80 anos, câncer mais frequentes em idosos, cuidados com idosos com câncer, sintomas de câncer em idosos, câncer em idosos, tipos de câncer mais comuns em idosos, leucemia em idosos, leucemia, leucemia linfoide aguda, leucemia tem cura, leucemia aguda, leocemia, leucemia tratamento, tratamento leucemia, tratamento de leucemia, tratamento para leucemia, tratamento da leucemia,, leucemia aguda tem cura, leucemia mieloide aguda tem cura, leucemia linfoide cronica tempo de vida , leucemia linfoide aguda tempo de vida, inicial sintomas de leucemia, leucemia mieloide aguda tratamento, sintomas de leucemia mieloide aguda, sintomas de, leucemia aguda, leucose aguda, leucemia em idosos, como identificar leucemia, leucemia, linfoide aguda tem cura, sintomas da leucemia aguda, pessoa com leucemia, leucemis leucemia tem cura em idosos , cid leucemia mieloide aguda, cancer em idosos, exame fisico no idoso, oncogeriatria, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, leucemia aguda em idosos, leucemia aguda em idosos tem cura, leucemia em idosos sintomas, leucemia em idosos tem cura, leucemia mais comum em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos tem cura, alimentos para tratar leucemia em idoso, leucemia cronica, manchas roxas nas pernas pode ser leucemia, manchas roxas no corpo leucemia, tipos de leucemia, quais os sintomas de leucemia, leucemia linfoide cronica, tratamentos para leucemia, cancer na medula ossea

  • Fadiga
  • Palidez
  • Febre
  • Cansaço excessivo 
  • Sangramentos na gengiva e nariz
  • Manchas roxas no corpo
  • Petéquias (pequenos pontos vermelhos) pelo corpo
  • Perda de peso

Todos esses sintomas estão relacionados à diminuição da produção de células sanguíneas saudáveis. Por exemplo, o sangramento, as manchas (hematomas) e petéquias acontecem por conta da baixa quantidade de plaquetas, responsáveis pela coagulação do sangue.

“Exames como um simples hemograma podem ajudar na suspeita diagnóstica.  Comumente, encontramos disfunção de duas ou mais séries no  hemograma destes pacientes. Ou seja, podem ter anemia (diminuição da contagem de  hemácias e hemoglobina) com plaquetopenia (diminuição do número de plaquetas). Ou também aumento ou diminuição do número de leucócitos (a depender do tipo de leucemia)”, o Dr. Bachour fala.

Ele alerta, entretanto, que quando os sintomas e sinais acontecem de forma isolada, não necessariamente é leucemia. Isso acontece porque eles podem estar associados a diversas doenças benignas. 

Qual o tratamento feito para leucemia em idosos?

São necessários alguns cuidados extras, porém o controle e até a cura da doença são possíveisHá diversos métodos que podem ser utilizados para o tratamento de leucemia nessa população. Nos dias atuais, existem terapias com o objetivo de curar, como a quimioterapia de alta intensidade e terapias-alvo, ou controlar a doença, também feito com terapia-alvo. Essas novas opções têm apresentado melhores respostas e redução das complicações clínicas. 

Cada paciente deve ser avaliado para que o onco-hematologista possa identificar qual a melhor escolha de terapia. Para isso, o hematologista revela que existem alguns desafios. O primeiro é a identificação do subtipo da leucemia, feita por meio de exames moleculares. Eles indicam o nome da doença, risco  (agressividade da evolução) e também podem apontar terapias-alvo que melhor funcionam como tratamento

“Esses exames nem sempre estão disponíveis, e têm sua cobertura recusada em virtude de um Rol da ANS desatualizado. No sistema público o  problema se repete, visto que o acesso ou disponibilidade está restrito a poucos centros  no país”, o médico detalha.  

O segundo desafio é a análise de performance do paciente. Isto é, se é uma pessoa fragilizada ou que está apta a receber tratamentos convencionais. 

De acordo com o Dr. Bachour, “diversos estudos trazem escalas que podem identificar pacientes frágeis ou aqueles que estão aptos para receber tratamentos convencionais. Apesar de não haver um modelo ideal, é muito importante que os centros de Onco-Hematologia e transplante de medula óssea (TMO) apliquem algum critério de avaliação para um melhor planejamento terapêutico. ”

A terceira barreira é o acesso ao tratamento mais adequado. A quimioterapia é o método mais acessível no Brasil e está disponível na maior parte dos centros terapêuticos. Entretanto, nem sempre é a melhor opção para o paciente idoso.

“As terapias-alvo e tratamentos mais modernos não estão disponíveis no SUS, e, em alguns casos, até mesmo para aqueles que estão cobertos pela saúde suplementar”, pontua. 

Tratamento da leucemia aguda no idoso

leucemia em idosos, leucemia idosos tem cura, leucemia tem cura em idosos, sintomas da leucemia em idosos, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, tratamento da leucemia aguda no idoso, tratamento de leucemia crônica em idosos, manchas roxas no corpo, anemia do idoso, tratamento da leucemia, Qual o tratamento feito para leucemia em idosos?, Quais os sintomas da leucemia em idosos?, quimioterapia aos 80 anos, câncer mais frequentes em idosos, cuidados com idosos com câncer, sintomas de câncer em idosos, câncer em idosos, tipos de câncer mais comuns em idosos, leucemia em idosos, leucemia, leucemia linfoide aguda, leucemia tem cura, leucemia aguda, leocemia, leucemia tratamento, tratamento leucemia, tratamento de leucemia, tratamento para leucemia, tratamento da leucemia,, leucemia aguda tem cura, leucemia mieloide aguda tem cura, leucemia linfoide cronica tempo de vida , leucemia linfoide aguda tempo de vida, inicial sintomas de leucemia, leucemia mieloide aguda tratamento, sintomas de leucemia mieloide aguda, sintomas de, leucemia aguda, leucose aguda, leucemia em idosos, como identificar leucemia, leucemia, linfoide aguda tem cura, sintomas da leucemia aguda, pessoa com leucemia, leucemis leucemia tem cura em idosos , cid leucemia mieloide aguda, cancer em idosos, exame fisico no idoso, oncogeriatria, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, leucemia aguda em idosos, leucemia aguda em idosos tem cura, leucemia em idosos sintomas, leucemia em idosos tem cura, leucemia mais comum em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos tem cura, alimentos para tratar leucemia em idoso, leucemia cronica, manchas roxas nas pernas pode ser leucemia, manchas roxas no corpo leucemia, tipos de leucemia, quais os sintomas de leucemia, leucemia linfoide cronica, tratamentos para leucemia, cancer na medula osseaO primeiro passo nos pacientes com LMA e LLA é fazer uma avaliação para identificar se o objetivo é curar, prolongar a sobrevida com qualidade ou apenas suporte clínico. Além disso, também é feita uma análise das condições clínicas da pessoa. Dessa forma, a depender dos dois pareceres, pode se utilizar quimioterapia, terapias-alvo, inibidores de proteína ou hipometilantes. 

Vale lembrar que nem sempre os médicos mantêm a primeira opção de terapia escolhida durante todo o tratamento. Os médicos podem alterá-la já que pode haver melhora ou piora da doença. Por isso, é feita uma avaliação a cada ciclo.

“Todos os protocolos de tratamento para adultos jovens, tais como quimioterapia e TMO, podem ser oferecidos para alguns destes pacientes. Contudo, a realidade para a maioria não é essa. São pacientes frágeis e não  elegíveis para estes protocolos”, o hematologista informa.  

No caso da quimioterapia em idosos, ela só é utilizada caso a pessoa tenha condições clínicas para receber esse tratamento. Esse cuidado acontece devido aos efeitos colaterais e possível maior toxicidade desse tratamento. 

Um método que tem apresentado boas respostas nessa população é a utilização de medicamentos hipometilantes. Normalmente, administra-se esses remédios no tratamento da síndrome mielodisplásica. Entretanto, nesses casos, eles são associados às drogas que atuam em uma proteína chamada BCL-2 e gerando resultados animadores.

“Para se  ter ideia do impacto, podem, por vezes, multiplicar em 2 ou 3 vezes as chances de  resposta ao tratamento”, o Dr. Bachour salienta. 

Em outros casos, os pacientes podem se beneficiar mais com o uso de terapias-alvo.

O TMO também pode ser uma opção, desde que o paciente tenha uma boa performance e o condicionamento seja feito com menor intensidade e toxicidade. Para muitos, pode aumentar as chances de cura.

Tratamento de leucemia crônica em idosos

leucemia em idosos, leucemia idosos tem cura, leucemia tem cura em idosos, sintomas da leucemia em idosos, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, tratamento da leucemia aguda no idoso, tratamento de leucemia crônica em idosos, manchas roxas no corpo, anemia do idoso, tratamento da leucemia, Qual o tratamento feito para leucemia em idosos?, Quais os sintomas da leucemia em idosos?, quimioterapia aos 80 anos, câncer mais frequentes em idosos, cuidados com idosos com câncer, sintomas de câncer em idosos, câncer em idosos, tipos de câncer mais comuns em idosos, leucemia em idosos, leucemia, leucemia linfoide aguda, leucemia tem cura, leucemia aguda, leocemia, leucemia tratamento, tratamento leucemia, tratamento de leucemia, tratamento para leucemia, tratamento da leucemia,, leucemia aguda tem cura, leucemia mieloide aguda tem cura, leucemia linfoide cronica tempo de vida , leucemia linfoide aguda tempo de vida, inicial sintomas de leucemia, leucemia mieloide aguda tratamento, sintomas de leucemia mieloide aguda, sintomas de, leucemia aguda, leucose aguda, leucemia em idosos, como identificar leucemia, leucemia, linfoide aguda tem cura, sintomas da leucemia aguda, pessoa com leucemia, leucemis leucemia tem cura em idosos , cid leucemia mieloide aguda, cancer em idosos, exame fisico no idoso, oncogeriatria, leucemia em idosos quanto tempo de vida, leucemia cronica em idosos, sintomas de leucemia em idosos, leucemia aguda em idosos, leucemia aguda em idosos tem cura, leucemia em idosos sintomas, leucemia em idosos tem cura, leucemia mais comum em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos, leucemia mieloide aguda em idosos tem cura, alimentos para tratar leucemia em idoso, leucemia cronica, manchas roxas nas pernas pode ser leucemia, manchas roxas no corpo leucemia, tipos de leucemia, quais os sintomas de leucemia, leucemia linfoide cronica, tratamentos para leucemia, cancer na medula osseaPara a leucemia mieloide crônica (LMC) e leucemia linfoide crônica (LLC) o objetivo da terapia está mais focada no controle da doença. Para ambas, há medicamentos disponíveis com ótimos resultados e, em certos casos, não é preciso realizar tratamento medicamentoso.

De acordo com o hematologista, “a LMC é uma doença que possui tratamento alvo com medicamentos de uso oral, que podem controlar a doença. Esses medicamentos agem na ‘chave’ da doença. Estão disponíveis para  todos os pacientes, sendo jovens ou idosos, com resultados extremamente satisfatórios. ” 

Já a LLC, muito prevalente em idosos, na maioria das vezes não necessita de tratamento. Os pacientes ficam no chamado “wacth and wait”, que significa observar e aguardar. Isso não quer dizer que a pessoa não precise fazer nada, muito pelo contrário, ela deve realizar as consultas e exames de acordo com a orientação médica.

“Quando a doença começa a causar sintomas, está  na hora de agir. Visto que terapias precoces, ou seja, antes do início dos sintomas, não  resultam em melhores resultados. Diversos tratamentos estão disponíveis para  tratamento dessa entidade. Desde quimioterapias convencionais, até medicamentos de uso oral que podem controlar a doença por anos”, diz o especialista.

Para os casos que necessitam de terapia medicamentosa, é possível utilizar os anticorpos monoclonais anti-CD20,  que atuam nos linfócitos B (células de origem da doença). Além disso, também existem drogas que agem inibindo a Bruton Kinase e podem controlar a doença, mesmo em casos refratários.

“Estas novas modalidades de tratamento têm sua limitação no acesso, visto que  são terapias de uso contínuo em muitos casos e de custo muito elevado”, o Dr. Philip Bachour finaliza.

 

Como é o hemograma de uma pessoa com leucemia?

O que a mutação genética significa para um câncer

0 0 vote
Avalie esse artigo
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Back To Top