skip to Main Content

Osteonecrose mandibular: sintomas e tratamento!

Mulher Com Dor No Maxilar Por Conta De Osteonecrose Mandibular
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Essa é uma lesão óssea que pode acontecer durante o tratamento do mieloma múltiplo – mas é possível tratar e prevenir

Escrito por:

Tatiane Mota

A osteonecrose mandibular é um dos possíveis efeitos colaterais do tratamento do câncer, que é essencial para que o paciente possa viver bem. Esse quadro é uma lesão bucal que compromete o osso da mandíbula ou do maxilar. Pode ser dolorosa, mas não é incomum encontrá-la em pacientes assintomáticos.

Os possíveis medicamentos que causam osteonecrose são conhecidos como inibidores da osteólise, os bisfosfonatos, indicados no tratamento oncológico justamente para inibir a reabsorção e controlar as complicações ósseas. São eles: ácido zoledrônico, pamidronato, alendronato, denosumab, dentre outros. 

A osteonecrose mandibular também pode acontecer espontaneamente ou após extração dentária e traumas na região.

Quais tipos de cânceres podem causar essa lesão óssea?

A osteonecrose não é câncer, mas de acordo com o Dr. Breno Gusmão, onco-hematologista na BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, qualquer tipo de câncer que seja necessário fazer uso dessas classes de medicações pode causar tal efeito colateral. 

“Na Onco-Hematologia é típico seu uso nos pacientes com mieloma múltiplo, então eles costumam ser os mais afetados. Mas na Oncologia, vários tipos de câncer podem provocar metástases ósseas e utilizamos esses medicamentos para evitar as fraturas patológicas, ou seja, as fraturas relacionadas ao tumor. É importante lembrar que esses medicamentos também são usados para o tratamento da osteoporose”.

Homem Com Dor Na Mandíbula Por Conta Da Osteonecrose

É curioso saber, no entanto, que as causas da osteonecrose mandibular ainda não são muito claras. “Há vários fatores envolvidos. Esses medicamentos são responsáveis pela remodelação óssea e alteram o metabolismo ósseo. A falta de higiene bucal, lesões mandibulares prévias, infecções na boca e manipulação local são fatores que podem desencadear o processo”, explica o Dr. Breno.

Principais sintomas da osteonecrose mandibular

Como identificar a osteonecrose para falar com o seu médico:

  • Dor prolongada na mandíbula
  • Mobilidade dos dentes
  • Aumento dos ossos
  • Inchaço gengival
  • Vermelhidão na pele e ulceração
Leia também:

Tratamento da osteonecrose mandibular

A osteonecrose mandibular é diagnosticada quando há osso exposto necrosado no maxilar ou na mandíbula, por pelo menos oito semanas. Uma vez que a lesão tenha sido identificada, o tratamento pode passar por diferentes etapas. 

“Existem várias medidas para o tratamento e/ ou controle da lesão. Higiene da boca, uso de antibióticos, laser, câmara hiperbárica são alguns deles. A depender do caso, é possível que uma cirurgia seja indicada”, salienta o especialista.

Pessoa Realizando No Ortodontista Para Realizar Tratamento Para Osteonecrose

A avaliação é feita de maneira individual e o onco-hematologista, em conjunto com o odontologista/cirurgião bucomaxilofacial, são os especialistas que indicarão qual a melhor decisão a seguir.

Leia também:

Prevenção é o ponto de partida para evitar a osteonecrose mandibular

Com cuidados bem simples, é possível evitar o surgimento da osteonecrose mandibular. Para começar, antes de iniciar o tratamento com essa classe de medicações, os pacientes devem passar em um dentista para avaliação bucal. 

Avaliação Dentária Para Evitar As Causas Da Osteonecrose

“Se necessário, entraremos com um tratamento prévio, antes de iniciarmos os protocolos contra o câncer. Outro ponto importante é que se o paciente precisar passar por um tratamento odontológico, enquanto trata uma neoplasia, é muito importante consultar o oncologista antes, para que o medicamento seja suspendido temporariamente e só depois dar início ao procedimento bucal”, finaliza o Dr. Breno Gusmão


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Tatiane Mota

Back To Top