skip to Main Content

E se eu desenvolver reação alérgica à quimioterapia?

Dermatite Atópica Quimioterapia, Reação Da Quimioterapia, Reaçoes Da Quimioterapia Branca, Quimioterapia Reações, Reações Quimioterapia, Quais As Reações Da Quimioterapia, Reações Quimioterapia, Efeitos Da Quimioterapia Branca, O Que São Quimioterápicos, Reações Da Quimioterapia, Quimioterapia Vermelha, Quimioterapia Branca Reação Da Quimioterapia Reaçoes Da Quimioterapia Branca, Quimioterapia Vermelha é Mais Forte Que A Branca, Reação Alérgica, Quimioterapia Branca E Vermelha, Reações Alérgicas A Medicamentos, Alergia Quimioterapia, O Que é Dessensibilização, Reação Alergica A Quimioterapia, Dessensibilização, Alergia A Quimioterapia, Alergia Apos Quimioterapia, Alergia Apos Quimioterapia, Reação Alergica Quimioterapia, Efeitos Colaterais Da Quimioterapia, Quimioterapia Efeitos Colaterais, Efeitos Colaterais Quimioterapia, Efeitos Colaterais Da Quimioterapia Branca, Como Amenizar Os Efeitos Colaterais Da Quimioterapia, Efeito Colateral Da Quimioterapia, Quais Os Efeitos Colaterais Da Quimioterapia, Alergia, Alergia Na Pele Alergia A Medicamentos, Alergia De Pele, Remedio Para Alergia, Sintomas De Alergia, Destaque3
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Avisar o médico e passar por uma avaliação é essencial para evitar que o tratamento oncológico seja prejudicado


Escrito por:

Natália Mancini

Dependendo do tipo do medicamento, algumas pessoas em tratamento oncológico podem desenvolver reação alérgica à quimioterapia. Quando isso acontece, é importante que o paciente seja avaliado por um imunologista para que esse especialista possa conversar com o oncologista e, juntos, eles possam analisar qual a melhor forma de dar continuidade à terapia.

O Dr. Marcelo Vivolo Aun, diretor da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), conta que isso pode acontecer pois, assim como qualquer medicação, a quimioterapia é uma substância que o organismo considera como estranha. Ou seja, algo de fora do corpo e que é enxergada como uma ameaça. Dessa forma o sistema imunológico monta uma resposta e ataca essa substância, causando a reação alérgica.

“A princípio não é comum, mas depende da classe de quimioterápicos. A classe das platinas, por exemplo (cisplatina, carboplatina, oxaliplatina), pode sensibilizar até 20 a 30% dos pacientes”, diz o Dr. Aun.

Outra classe de quimioterápico que causa, mais frequentemente, alergia são os taxanos, como paclitaxel e docetaxel.

De acordo com o médico, além da reação alérgica à quimioterapia, é possível que o paciente oncológico desenvolva reações à imunoterapia. Isso acontece porque esse tipo de medicamento utiliza um mecanismo que auxilia o sistema imune da própria pessoa a identificar e combater o câncer.

“A imunoterapia, até pelas características das moléculas e pelos seus efeitos farmacológicos, causa reações com frequência um pouco maior”, diz.

Sintomas de alergia

dermatite atópica quimioterapia, reação da quimioterapia, reaçoes da quimioterapia branca, quimioterapia reações, reações quimioterapia, quais as reações da quimioterapia, reações quimioterapia, efeitos da quimioterapia branca, o que são quimioterápicos, reações da quimioterapia, quimioterapia vermelha, quimioterapia branca reação da quimioterapia reaçoes da quimioterapia branca, quimioterapia vermelha é mais forte que a branca, reação alérgica, quimioterapia branca e vermelha, reações alérgicas a medicamentos, alergia quimioterapia, o que é dessensibilização, reação alergica a quimioterapia, dessensibilização, alergia a quimioterapia, alergia apos quimioterapia, alergia apos quimioterapia, reação alergica quimioterapia, efeitos colaterais da quimioterapia, quimioterapia efeitos colaterais, efeitos colaterais quimioterapia, efeitos colaterais da quimioterapia branca, como amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia, efeito colateral da quimioterapia, quais os efeitos colaterais da quimioterapia, alergia, alergia na pele alergia a medicamentos, alergia de pele, remedio para alergia, sintomas de alergiaO mais comum é que apareça uma vermelhidão e erupções na pele, acompanhadas de coceira. Porém, também pode acontecer de haver inchaço na face, falta de ar, vômitos e até edema de glote, queda da oxigenação e choque grave.

Quando esses sintomas se desenvolvem durante a infusão, orienta-se que a administração da quimioterapia seja interrompida. Ao mesmo tempo, deve ser solicitada uma avaliação médica para que o profissional possa verificar como controlar a crise.

“Agora, na sequência, o ideal é que o paciente seja encaminhado a um alergista/imunologista para uma avaliação especializada. Assim, esse profissional discutirá com o médico do paciente quais as medidas para a continuação do tratamento daquele câncer”, o Dr. Aun aconselha.

Como evitar a reação alérgica à quimioterapia

dermatite atópica quimioterapia, reação da quimioterapia, reaçoes da quimioterapia branca, quimioterapia reações, reações quimioterapia, quais as reações da quimioterapia, reações quimioterapia, efeitos da quimioterapia branca, o que são quimioterápicos, reações da quimioterapia, quimioterapia vermelha, quimioterapia branca reação da quimioterapia reaçoes da quimioterapia branca, quimioterapia vermelha é mais forte que a branca, reação alérgica, quimioterapia branca e vermelha, reações alérgicas a medicamentos, alergia quimioterapia, o que é dessensibilização, reação alergica a quimioterapia, dessensibilização, alergia a quimioterapia, alergia apos quimioterapia, alergia apos quimioterapia, reação alergica quimioterapia, efeitos colaterais da quimioterapia, quimioterapia efeitos colaterais, efeitos colaterais quimioterapia, efeitos colaterais da quimioterapia branca, como amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia, efeito colateral da quimioterapia, quais os efeitos colaterais da quimioterapia, alergia, alergia na pele alergia a medicamentos, alergia de pele, remedio para alergia, sintomas de alergiaO comum é que o paciente já passe por um protocolo chamado de “pré-medicação” antes de dar início a infusão da quimioterapia. Nesse processo, são administrados medicamentos, normalmente, corticoides e/ou antialérgicos, para evitar que ele desenvolva efeitos colaterais ao tratamento.

Porém, caso mesmo assim a reação alérgica aconteça, conforme mencionado anteriormente, o paciente deve procurar um alergista. Isso deve ser feito antes do próximo ciclo, pois, normalmente, a segunda reação alérgica tende a ser mais grave que a primeira. 

“Dependendo do quadro, a conduta final poderá ser apenas o ajuste da pré-medicação/tempo de infusão, a completa troca do tratamento de base, o que costuma ser ruim, e em casos selecionados indica-se a dessensibilização”, o Dr. Aun informa.

A dessensibilização é um procedimento que tem como objetivo fazer com que o corpo do paciente tolere a quimioterapia. Permitindo, dessa forma, completar e finalizar o tratamento. 

Para esse processo, o medicamento que causou a alergia é bem diluído antes de ser administrado. Conforme o paciente responder positivamente e não apresentar mais reações, a diluição diminui e a dose administrada é aumentada, até que o remédio chegue na dosagem desejada.

Fazer ou não e como esse protocolo funcionará é uma decisão tomada em conjunto pela equipe médica, que analisa quais são os benefícios e malefícios e decide qual o melhor caminho a seguir. Por isso, é importante que seja comunicado todo e qualquer sintoma apresentado, seja durante a infusão ou após a aplicação da droga.

 

Mucosite: as temidas feridas na boca

Como evitar a queda de cabelo durante o câncer


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Terminei minhas quimios , mais sinto uma coceira pelo corpo e tudo fica pinicando , e tomo antialérgico e resolve na hora depois volta tudo denovo , vou no médico eles dizem que vai passar , mais não passa , queria alguma ajuda , o que devo fazer , não aguento mais e ninguém me ajuda

Oi ,estou passando pelo mesmo problema mais Durante a químio. Você encontrou uma solução

Essa publicação é instrutiva, minha mãe esta passando por processo alérgico grave. Como é câncer de mama foi utilizado os taxanos. Agora a terceira tentativa será com a quimioterapia vermelha. Segundo a oncologista a quimio vermelha é menos alérgica.

Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top