skip to Main Content

PTI pode ser uma consequência da COVID-19

Pessoa Com Hematoma No Braço Por Conta De Sequelas Da Covid-19
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Esse risco existe em diversas infecções, mas por conta da pandemia do coronavírus, os casos relacionados a essa doença estão em alta

Por Natália Mancini

Sabe-se que diversas condições podem se desenvolver como consequência da COVID-19, por exemplo fraqueza muscular, danos neurológicos e insuficiência cardíaca. Mas, o que pouco têm se falado é que a trombocitopenia imune primária (PTI) também pode se manifestar como consequência da infecção pelo novo coronavírus. O risco disso acontecer é baixo, entretanto alguns casos estão sendo descobertos e investigados, principalmente em pessoas que apresentaram a COVID-19 de forma grave. 

A trombocitopenia imune primária é uma doença hematológica autoimune que acontece quando o corpo da pessoa começa a enxergar as próprias plaquetas como invasoras e passa a destruí-las. Dessa forma, o paciente fica com uma baixa quantidade dessas células sanguíneas e passa apresentar hematomas, sangramentos ou pequenas manchas avermelhadas, que são os principais sintomas de PTI.

“Estamos vendo casos de PTI relacionadas à infecção por COVID-19 porque ela está muito prevalente atualmente. Dessa forma, faz com que o número de casos de PTI também aumente. Mas, também podemos fazer um paralelo com outras infecções, principalmente as virais. Como a hepatite C, hepatite B, HIV, Citomegalovírus, Mononucleose, Helicobacter pylori e o SARS-COV-1”, ressalta o Dr. Fábio Jansen, hematologista da Oncologia da Rede D’Or do Rio de Janeiro.

 

PTI como consequência da COVID-19

Em primeiro lugar, o Dr. Jansen explica que a infecção pelo coronavírus pode causar a queda de plaquetas (plaquetopenia) por meio de diversos mecanismos. Identificou-se que de 10% a 36% dos pacientes internados desenvolveram essa condição, mas, na maioria das vezes, ele era leve.

O médico detalha as formas mais comuns que a COVID-19 pode gerar essa diminuição de acordo com a gravidade da infecção.  

Pessoa Curada Do COVID-19 Recebendo Alta Do Hospital

“Nos casos leves, a produção das plaquetas pode estar comprometida pela ação do vírus na medula óssea, que é tóxica”, ele diz. 

Enquanto que, a partir dos casos moderados, a infecção ativa a ação das plaquetas e da parede dos vasos, gerando um estado hiper-inflamatório, resultando na formação de coágulos e deixando a pessoa em estado pré-trombótico. “Isso acaba diminuindo a contagem das plaquetas por consumo. Isto é, pelo uso de plaquetas para formação de múltiplos pequenos coágulos dentro dos vasos”, o médico informa.

Os casos mais graves também são afetados por esses mecanismos. Mas, além disso, a plaquetopenia também acontece devido ao uso de diversas medicações, hemodiálise ou até mesmo da ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea). 

Entretanto, em relação à PTI, o mais comum é que os anticorpos, produzidos pelo sistema imunológico para combater o SARS-COV-2, reajam com as proteínas da superfície das plaquetas, chamadas de integrinas. Assim, esses anticorpos entendem que as plaquetas fazem parte da infecção e as ataca. 

Leia também:

Todas as pessoas infectadas pelo coronavírus correm esse risco?

O hematologista reforça que essa é uma complicação da COVID-19 pouco frequente, por isso um número baixo de pessoas desenvolverão a trombocitopenia imune primária. Entretanto, ainda não é possível predizer quem irá apresentar esse quadro.

Pessoas Que Ficaram Internadas Têm Mais Chances De Ter Sequelas Da COVID-19

“Segundo os estudos, a PTI associada à COVID-19 ocorre com maior frequência em pacientes acima dos 50-60 anos, nos casos mais graves da doença e nos pacientes que apresentam manifestações hemorrágicas, mas respondem bem aos tratamentos estabelecidos. Por fim, o fenômeno ocorre geralmente na chamada fase inflamatória da doença (entre 7 e 10 dias após início dos sintomas)”, o Dr. Jansen explica.

Além disso, também ainda não se sabe precisamente qual a probabilidade da pessoa desenvolver PTI enquanto está com a COVID-19 ou depois de se recuperar. Isso acontece, primeiro, porque a infecção por esse tipo de coronavírus é considerada como uma doença nova. Portanto, ainda são necessários mais estudos sobre ela e mais avaliações de como aquelas pessoas que se curaram ficarão ao longo do tempo. 

A segunda razão, é pelo motivo do aparecimento da trombocitopenia imune primária como sequela da COVID-19 ser algo incomum. Vale reforçar que nem toda queda de plaqueta é PTI. Como falado anteriormente, a plaquetopenia como sequelas da COVID-19 pode ocorrer por outras causas. 

O médico complementa dizendo que esse risco não permanece durante a vida toda da pessoa, e que, segundo um estudo, em 20% dos casos, a PTI surge três semanas após os primeiros sintomas da COVID-19 e tem uma lenta tendência de queda após esse período. 

PTI em mulheres

Gravidez, menstruação e autoestima são temas bem comuns entre as pacientes. Leia mais sobre!

Tratamento da PTI relacionada ao coronavírus

Tradicionalmente, existem alguns possíveis tratamentos para a PTI, dependendo da quantidade de plaquetas do paciente. A primeira opção costumam ser os corticoides, seguidos pela imunoglobulina intravenosa e, em casos de falha dessas duas opções, pode ser feita a retirada do baço.

Tratamento Para PTI Como Sequela Da Covid-19

No tratamento da PTI  como consequência da COVID-19, não há mudanças significativas em relação aos medicamentos utilizados. Mas, a imunoglobulina passa a ser a primeira escolha, porque boa parte dos pacientes com COVID-19 já estaria fazendo uso dos corticoides.

PTI, quando retirar o baço?

A trombocitopenia imune primária (PTI) ocorre devido a uma alteração nos anticorpos que passam a atacar as plaquetas. O baço é responsável pela maior parte das plaquetas destruídas. Leia mais sobre!

A vacina contra COVID-19 pode causar essa consequência?

Há relatos sobre o desenvolvimento de PTI após a vacina contra COVID-19, entretanto o Dr. Fábio Jansen salienta que isso é algo passível de acontecer com imunizantes contra diversos tipos de infecções.

“Isso ocorre porque as vacinas induzem a formação de anticorpos e, novamente, anticorpos podem ter reações cruzadas e considerar as integrinas das plaquetas como parte da infecção. Isso sempre vai existir, independentemente do tipo de vacina (de vírus inativado, se de RNA mensageiro), porque todas levam ao mesmo resultado: formação de anticorpos contra infecções. ”

Manchas Vermelhas Pelo Corpo São Sintomas De PTI

É possível evitar que a PTI seja uma das sequelas da COVID-19?

De acordo com o especialista, não é possível prevenir que a infecção cause a PTI, pois a resposta imunológica de cada um é muito individual e imprevisível.

“O que se sabe é que, como a PTI ocorrem casos mais graves de COVID-19, procurar assistência médica já com sintomas mais leves, no início do quadro, podem diminuir o risco dessa e demais complicações. O ideal mesmo é vacinar-se, evitando contrair o vírus. Afinal, embora existam casos de PTI pós-vacinal, eles também são raros. A vacina, sim, evita casos graves de COVID-19, e todas as suas complicações”, o Dr. Fábio Jansen alerta.

Vacinar Diminui A Chance Do Aparecimento De Sequelas Da COVID-19

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top