skip to Main Content
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Fala que você será ouvido

Fala Que Você Será Ouvido

Na relação com o médico, em qualquer etapa do tratamento, um dos pontos mais importantes para o paciente é ser ouvido

Você, paciente, pergunta para o seu médico tudo o que tem vontade de saber? Mais que isso, quando está se sentindo mal, seja física ou emocionalmente, desabafa com ele? Se sim, responda: ele ouve você? Presta atenção ao que você diz, recebe bem todas as suas perguntas e faz de tudo para que seus questionamentos sejam sanados? Saiba que ser ouvido é um direito de todo paciente. Assim como é dever de todo médico escutar o que o paciente tem a dizer.

Se o paciente se sentir lesionado, ele poderá representar o médico perante o Conselho de Medicina e acioná-lo judicialmente, podendo requerer uma indenização por danos morais. Dependendo da gravidade do caso, o médico ainda poderá responder a uma ação criminal.

Mais do que direito e dever, esse processo é importante para construir uma boa relação médico-paciente.  De tal forma que, consequentemente, contribuir para que o tratamento seja bem-sucedido. “Todo paciente se encontra em um estado de desemparo, muitas vezes sozinho, e o médico é uma espécie de âncora, de salvação”, afirma a psicóloga Elisa Campos. Que continua: “Só o ‘falar’ já ajuda o próprio paciente, diminuindo a angústia. E, quando ele é atenciosamente escutado, influencia positivamente na forma como a doença se desenvolve. Como resultado, muda também a forma de enfrentamento que o paciente terá com ela.”

EM CADA ETAPA HÁ UMA DÚVIDA A SER ESCLARECIDA

E isso vale para todas as etapas do tratamento. Desde o diagnóstico até as consultas de retorno após o encerramento, apenas para acompanhamento. “Em geral, o paciente sempre faz perguntas, mas são diferentes. A fase de maior angústia é a do diagnóstico. Muitos querem saber exatamente o que têm, querem tirar dúvidas, querem detalhes”, explica a Dra. Elisa. Já durante os tratamentos, as conversas giram mais em torno do “até quando” vão durar os procedimentos. Após o encerramento, as dúvidas se voltam mais para saber como retomar a vida de antes.

Vale dizer que, mesmo quando o paciente é mais tímido e quieto, esse processo pode ser importante e deve ser conduzido pelo médico. “Fazer perguntas é uma boa forma de incentivar o paciente a falar, sempre com muito tato. E as questões devem estar subordinadas ao que o paciente pode estar querendo dizer naquele momento do tratamento ou ao que o médico precisa saber dele”.

NÃO OUVIR É NÃO TRATAR

“Muitas vezes o médico não acha necessário informar o paciente. Ou não sabe da importância disso, ou nem mesmo recebeu esse ensinamento ao longo de sua formação. Mas, por ser parte importante do tratamento, o diálogo deve ser aberto. Ainda que essa demanda venha do paciente”, diz a Dra. Elisa.

Em outras palavras, se você não tem se sentido ouvido, converse com o seu médico, diga que sabe que isso vai ajudá-lo no tratamento e, principalmente, não tenha vergonha de perguntar! “O paciente sentindo-se bem, acolhido e confiante, reage de maneira positiva. E isso é o que ambos, paciente e médico querem”.

Aos profissionais, a Dra. Elisa aconselha que a melhor forma de se preparar para fazer essa escuta atenciosa e afetiva é estando sempre informados sobre a importância dessa relação médico-paciente e se colocando à disposição sempre. Aos pacientes, especialmente os que não se sentem tão à vontade para falar, a dica é: “Se você sentir mais liberdade para se dirigir a algum profissional de saúde que não seja o médico, procure por alguém da equipe – enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas etc. Certamente eles poderão ajudar, e isso será mais eficaz do que guardar as perguntas e angústias apenas com você”.

0 0 vote
Avalie esse artigo
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vanessa
1 mês atrás

Eu sinto muito dor no pé da minha barriga quando eu faço relação sexual doi mais tem vez que eu não faço relação sexual doi do mesmo jeito

Editor
1 mês atrás
Reply to  Vanessa

Olá, Vanessa, tudo bom?

Recomendamos que a senhora busque um ginecologista para realizar alguns exames e verificar o que pode estar acontecendo. Pode ser interessante procurar um clínico geral também para caso não seja uma questão ginecológica, já que a senhora sente dor mesmo sem relação sexual.

Abraços!

Emilly
23 dias atrás

Olá ! Tenho 15 anos e peso 95 kilos , começei a toma um chá pra emagrecer mais queria fazer a redução de estômago , poderia fazer ?

Editor
22 dias atrás
Reply to  Emilly

Olá, Emily, como vai?

A Abrale é uma associação que auxilia pacientes com cânceres do sangue, por isso, infelizmente, não podemos te oferecer uma resposta!
Recomendamos que você procure um gastroenterologista para que ele possa fazer alguns exames e verificar se você poderia realizar a cirurgia, principalmente devido a sua idade.

Abraços!

Back To Top
4
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x