skip to Main Content

Epidemiologia do mieloma múltiplo no Brasil

Eidemiologia Do Mieloma Multiplo No Brasil
Compartilhe

Última atualização em 27 de fevereiro de 2024

Estudo mostra que quase 80% dos pacientes demoraram mais de 60 dias para iniciar o tratamento. Veja os dados completas

Escrito por:

Tatiane Mota

O Observatório de Oncologia desenvolveu um levantamento a respeito da epidemiologia do mieloma múltiplo no Brasil. Foram realizadas importantes análises sobre diagnóstico e acesso às terapêuticas para esse tipo de câncer do sangue. 

O estudo foi feito com base nos dados disponibilizados pelo Sistema de Informação de Mortalidade (SIM); Sistema de Informação Ambulatorial (SIA) e Sistema de Informações Hospitalares (SIH), de 2018 a 2022.

Esses dados mostram como vem acontecendo o tratamento de diversos tipos de câncer no país e podem ter um importante papel para salvar vidas. Isso porque, a partir desses registros, é possível lutar por melhorias na Saúde e apresentar aos órgãos responsáveis a necessidade de cumprir e criar novas políticas públicas. 

Veja os principais resultados sobre a epidemiologia do mieloma múltiplo no Brasil:

  • SEXO E IDADE

51,9% dos pacientes são homens e 48,1% mulheres. A faixa etária média está na casa dos 70 a 79 anos de idade (30,2%).

Médicos Analisando Dados
  • TRATAMENTOS X CUSTO

Mais de 139 mil pacientes realizaram a quimioterapia como tratamento de primeira linha, por um custo médio de R$ 1.518,00

São Paulo foi o estado que mais aplicou procedimentos terapêuticos (79.954), seguido por Minas Gerais (43.385) e Paraná (21.980).

2022 foi o ano em que mais pacientes realizaram tratamento para o mieloma múltiplo, com 69.879 atendimentos. 

As internações somaram 35.164 e São Paulo, novamente, foi o estado que mais internou (9.787), seguido por Minas Gerais (5.517) e Paraná (2.679). O custo médio de cada internação foi de R$ 4.036,00.

  • TEMPO PARA INICIAR O TRATAMENTO

79,7% dos pacientes demoraram mais de 60 dias para iniciar o tratamento. Ou seja, a Lei dos 60 Dias, que prevê a obrigatoriedade de começar os protocolos clínicos até no máximo esse período, não foi cumprida na maior parte dos casos. 

  • ÓBITOS

No período analisado, foram contabilizadas 13.524 mortes por mieloma múltiplo: São Paulo (2.420); Minas Gerais (2.092) e Bahia (1.116). 

  • RAÇA/COR

44,8% dos pacientes se autodeclararam brancos.

Leia também:

O que é mieloma múltiplo?

mieloma múltiplo é um tipo de câncer do sangue que tem início na medula óssea, quando ocorre um defeito celular. No momento em que os linfócitos B se diferenciam e se tornam plasmócitos, ocorre então uma mutação, ou seja, um erro genético, tornando os plasmócitos anormais (doentes).

Laço Borgonha Do Mieloma Múltiplo

São diferentes as opções de tratamento hoje, que vão desde a quimioterapia até o CAR-T Cell, terapia celular que vem apresentando resultados muito promissores. 

Mas, como pode-se ver, os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e também do sistema privado ainda enfrentam problemas de acesso. Este tema foi assunto do Diálogos em Oncologia, evento realizado pelo Movimento Todos Juntos Contra o Câncer em 4 de dezembro de 2023. Veja o evento completo clicando aqui.

* Conteúdo patrocinado por:

Logo Sanofi
Logo GSK

Deixe sua opinião ou dúvida sobre esta matéria abaixo! 👇


Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Tatiane Mota

Back To Top