skip to Main Content

Mielofibrose: como lidar com os efeitos colaterais do tratamento

Mielofibrose, Mielofibrose Tem Cura, Mielofibrose é Cancer, Mielofibrose Primária, O Que é Mielofibrose Primária, Mielofibrose Prognostico, Mielofibrose Sobrevida, Complicações Da Mielofibrose, O Que é A Doença Mielofibrose, Tratamento Mielofibrose, Alimentação Para Quem Tem Mielofibrose, Mielofibrose Aguda, Mielofibrose Cronica, Mielofibrose Diagnostico, Mielofibrose Expectativa De Vida, Mielofibrose O Que é, Mielofibrose Pode Matar, Mielofibrose Tempo De Vida, Mielofibrose Tratamento, O Que é Mielofibrose Primária, Pacientes Com Mielofibrose, Sintomas Da Mielofibrose, Sintomas De Mielofibrose, Sintomas Mielofibrose, Mieloproliferativa, Doença Mieloproliferativa, Neoplasia Mieloproliferativa, Doença Mieloproliferativa Cronica, Síndrome Mieloproliferativa, Mieloproliferativa Crônica, Doença Mieloproliferativa Cronica é Cancer, Doença Mieloproliferativa Cronica Tem Cura, Neoplasia Mieloproliferativa Tratamento, Doença Mieloproliferativa Cronica Tratamento
Compartilhe

Eles  podem aparecer por conta dos longos períodos de uso das terapias. Mas é possível evitá-los ou amenizá-los

Escrito por:

Natália Mancini

O tratamento para mielofibrose, na maior parte dos casos, é realizado por meio de medicamentos, mas também pode incluir o transplante de medula óssea (TMO). Independente do método escolhido, é possível que a pessoa apresente efeitos colaterais. 34%, dos 162 pacientes que responderam uma pesquisa feita pela Abrale, afirmaram ter apresentado alguma reação adversa duradoura. As principais manifestações apontadas foram perda de memória, de fertilidade ou neuropatia periférica.

A mielofibrose é uma doença mieloproliferativa crônica que acontece devido a uma mutação nas células-tronco. Elas passam a ser fabricadas em excesso, formando uma cicatriz (fibrose) na medula óssea. Consequentemente, a produção das células sanguíneas fica prejudicada, causando uma série de problemas de saúde.

Ela acomete, principalmente, pessoas com mais de 50 anos e pode ser classificada como mielofibrose primária, quando aparece sem causa conhecida, ou como secundária, quando acontece devido à evolução de outras doenças, como trombocitemia essencial e da policitemia vera.

Os sintomas da mielofibrose são:

  • cansaço excessivo e progressivo
  • aumento do baço e do fígado
  • anemia
  • emagrecimento e perda de apetite
  • dor óssea 
  • hemorragias

Tratamento para mielofibrose

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamentoA intervenção terapêutica mais indicada depende da condição clínica do paciente, idade e estadiamento da doença. Sendo que, caso a mielofibrose não cause nenhum sintoma, é possível que o médico escolha não realizar nenhuma terapia.

Por ser uma doença crônica, esse câncer só pode ser curado por meio do TMO alogênico (quando a medula vem de um doador).

“O TMO tem o potencial de curar o paciente. Não é certo que o paciente vai ficar curado se ele fizer o transplante, porém existe uma probabilidade disso acontecer”, informa o Dr. Fábio Pires, hematologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Entretanto, a maioria dos pacientes não recebe indicação para esse procedimento, ou não consegue realizá-lo. Por isso, fazem uso de tratamento medicamentoso com o objetivo de amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Apesar de, nessa situação, a terapia não promover a remissão completa, é preciso realizá-la para evitar que a mielofibrose evolua para uma leucemia. De 5% a 10% das mortes decorrentes da mielofibrose acontecem devido à essa evolução.

“Dentre os tratamentos, os mais usados hoje em dia são os inibidores de JACK2, enzima que causa a doença. Essa terapia pode melhorar muito os sintomas, qualidade de vida e aumentar a sobrevida do paciente. Porém ele não tem o potencial de cura”, diz o médico.

Para essas pessoas que não foram submetidas ao TMO, o uso da medicação deve ser mantido por toda a vida. Mesmo que haja uma normalização dos sintomas e de outras questões relacionadas à doença.

“Tem que manter o tratamento, ele não pode parar”, o Dr. Pires orienta.

Efeitos colaterais do tratamento para mielofibrose

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamentoAs reações adversas dependem do tipo de terapia que está sendo realizada. No caso do TMO, por exemplo, as manifestações estão ligadas a esse procedimento, como a doença do enxerto versus hospedeiro. Já para os medicamentos, de acordo com o hematologista, o mais comum é que os pacientes com mielofibrose tenham que lidar com a anemia (queda de hemoglobina) e plaquetopenia (queda das plaquetas).

“Eles também podem dar um pouquinho de diarreia, náusea e um outro efeito mais sutil que ele causa é uma diminuição na imunidade do paciente. Então, ele fica mais vulnerável a ter alguns tipos de infecções. Por isso, precisamos ficar mais de olho”, o doutor conta.

Além disso, o Hidroxiureia também pode causar feridas na boca, alterações na pele e mudanças no exame de sangue. Enquanto que a Talidomida tem como reações adversas náusea, vômito, constipação (intestino preso), sonolência, neuropatia periférica, aumento do risco de trombose.

“Como não existe um único tratamento de mielofibrose, o principal é o  Ruxolitinibe. Mas tem outros também, então os efeitos colaterais dependem muito”, o Dr. Pires explica.

De qualquer forma, é essencial que o paciente relate para o médico caso apresente alguma reação adversa. Dessa forma, o profissional pode ajudar da melhor maneira possível. Em algumas situações, somente alterar a dosagem ou modificar o remédio é o suficiente para amenizar essas manifestações. Entretanto, em outras, é preciso ter a orientação de algum outro profissional, como é o caso da neuropatia periférica e da perda de fertilidade.

“Há três sintomas especiais, que são febre, perda de peso e sudorese noturna, que o paciente sempre tem que saber se ele está tendo isso. Porque, se ele estiver, é um sinal de piora da doença e é preciso informar a respeito”, o médico alerta.

Neuropatia periférica e mielofibrose

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamentoA neuropatia periférica acontece quando os nervos que saem da medula espinhal e vão para os membros, chamados periféricos, sofrem algum impacto. Isso causa formigamento, perda de sensibilidade nas mãos e pés, perda de força e dor espontânea.

“Alguns remédios que usamos para tratar a mielofibrose podem causar essa condição. Dos clássicos que temos no Brasil, a talidomida pode levar à neuropatia”, conta o especialista. 

Quando isso acontece, o remédio deve ser suspendido e é indicado evitar utilizá-lo posteriormente. Além disso, o paciente deve procurar a ajuda de um neurologista para verificar qual a melhor forma de tratar o quadro.

“Talvez fazer alguma suplementação vitamínica, suspender o medicamento, acho que seria o mais importante, e fazer atividades físicas, como a fisioterapia, para tentar recuperar a força. Porque, a neuropatia, muitas vezes, é reversível com a cessação do medicamento”, o Dr. Pires aconselha. 

Perda de memória 

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamentoApesar de não haver uma certeza do porquê isso acontece, o hematologista conta que acredita-se que é porque a mielofibrose estimula a produção de citocinas inflamatórias.

“Então, a doença causa uma inflamação persistente no corpo do paciente e ela pode causar diversos sinais e sintomas. Dentre eles, parece que a dificuldade de concentração, perda de memória, prejuízo cognitivo”, ele fala.

Entretanto, é importante ressaltar que essa perda não é semelhante à que acontece no Alzheimer ou na demência. Ou seja, há um prejuízo, mas ele não possui um nível de gravidade tão alto.

Como ainda não se sabe o que causa essa condição, não há orientações definidas de como evitar ou amenizar essa reação adversa.

“Suspeitamos que sejam essas proteínas que a doença produz. Se for isso, o tratamento com inibidor de JACK2 poderia ajudar a melhorar. Pode ser que exercício de raciocínio ajude, praticar atividade física e ter uma boa dieta também. Porém, ainda não temos certeza a respeito,” o Dr. Pires conta.

Perda da fertilidade devido ao tratamento da mielofibrose

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamentoEsse quadro pode ser influenciado devido a alguns dos tratamentos. A própria doença pode causar disfunção erétil e a própria idade do paciente.

“Alguns tratamentos que usamos, sim, vão alterar a fertilidade. Por exemplo, a hidroxiureia pode alterar, o inibidor de JACK2 – ele não vai alterar – mas não pode engravidar enquanto estiver tomando e o TMO pode causar problemas na fertilidade do paciente, por causa da quimioterapia que é utilizada”, o médico conta.

No caso de pacientes mais jovens, uma das possibilidades para evitar esse efeito colateral é escolher, se possível, algum tratamento que não o cause. Outra alternativa seria o congelamento de espermatozóides e óvulos para que, futuramente, a gestação possa acontecer.

É seguro ter um filho durante o tratamento da doença?

Sim, o Dr. Pires explica que se o câncer for descoberto no início ou não for preciso fazer uso de medicamentos que influenciem na fertilidade, por exemplo, o Interferon, pode ser seguro.

“No início da doença, quando ela está mais precoce, o baço não é grande, o paciente tem poucos sintomas, dá sim para engravidar. Eu tenho pacientes que engravidaram com mielofibrose”, exemplifica.

Porém, se a mielofibrose estiver em fase mais avançada, pode ser perigoso e, portanto, não é indicado. Isso acontece porque o baço está com tamanho aumentado, então pode entrar em conflito com o útero, que também aumenta de tamanho durante a gravidez. Por outro lado, para os homens, não há certeza da segurança de conceber um filho durante o uso de inibidores de JACK2.

Fadiga e mielofibrose

mielofibrose, mielofibrose tem cura, mielofibrose é cancer, mielofibrose primária, o que é mielofibrose primária, mielofibrose prognostico, mielofibrose sobrevida, complicações da mielofibrose, o que é a doença mielofibrose, tratamento mielofibrose, alimentação para quem tem mielofibrose, mielofibrose aguda, mielofibrose cronica, mielofibrose diagnostico, mielofibrose expectativa de vida, mielofibrose o que é, mielofibrose pode matar, mielofibrose tempo de vida, mielofibrose tratamento, o  que é mielofibrose primária, pacientes com mielofibrose, sintomas da mielofibrose, sintomas de mielofibrose, sintomas mielofibrose, mieloproliferativa, doença mieloproliferativa, neoplasia mieloproliferativa, doença mieloproliferativa cronica, síndrome mieloproliferativa, mieloproliferativa crônica, doença mieloproliferativa cronica é cancer, doença mieloproliferativa cronica tem cura, neoplasia mieloproliferativa tratamento, doença mieloproliferativa cronica tratamento“Esse é o sintoma mais comum de mielofibrose, quase 80/90% dos pacientes relatam. Muitas vezes é uma fadiga limitante. Existem poucos medicamentos que aliviam isso. O clássico é o Jakavi, ele tem um efeito positivo de melhorar a fadiga o cansaço e dá mais disposição para os pacientes”, diz o Dr. Pires.

Há uma discussão em relação à realização de atividades físicas para aliviar essa questão. Porém, acredita-se que fazer exercícios de baixa intensidade, mas de forma persistente, pode ajudar a aumentar a disposição e o ânimo. 

Algumas pequenas mudanças de hábito também podem ajudar a diminuir a fadiga. Por exemplo, dormir e acordar, aproximadamente, na mesma hora; reservar energia para as atividades consideradas como mais importantes; antes de dormir evitar o consumo de estimulantes como café, chá ou chocolate e evitar usar laptops, tablets ou telefones celulares e falar sobre as preocupações com médicos, amigos e familiares.

 

Mielofibrose, um câncer silencioso

Saiba tudo sobre as doenças mieloproliferativas


Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top