skip to Main Content

Síndrome mielodisplásica: o que é, sintomas e tratamentos

Células Da Síndrome Mielodisplásica
Compartilhe

Última atualização em 8 de novembro de 2021

Mais comum em pessoas com mais de 60 anos, essa neoplasia deve ser tratada com bastante seriedade

Escrito por:

Natália Mancini

A síndrome mielodisplásica (SMD), ou mielodisplasia, é uma doença que acontece quando a célula-tronco hematopoiética, responsável pela produção das células do sangue, sofre uma série de mutações genéticas. Com isso, ela passa a ter problemas para fabricar células do sangue maduras. Essa doença pode se apresentar com características mais indolentes, ou seja, ter uma evolução mais lenta, ou mais agressivas. Entretanto, em ambas as situações é fundamental realizar o tratamento adequado para evitar que surjam complicações, que podem levar à morte, ou que a SMD evolua para uma leucemia mieloide aguda (LMA).

Esse quadro é mais comum em pessoas acima dos 60 anos e que tiveram exposição a alguns agentes tóxicos, como hidrocarbonetos, radiação em altas doses, tabaco e quimioterápicos. Porém, na maioria das vezes, a doença se desenvolve sem ter um fator de risco. Mesmo sendo mais comum em idosos, também pode acontecer em crianças e jovens.

Apesar do seu nome, a síndrome mielodisplásica está, na verdade, mais próxima de uma leucemia crônica que de uma doença benigna. 

Sintomas da mielodisplasia

O Dr. Fábio Pires, hematologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, alerta que por conta do prejuízo na produção de células sanguíneas maduras e saudáveis, a pessoa passa a apresentar queda na quantidade de glóbulos vermelhos (anemia), glóbulos brancos (leucopenia) e de plaquetas (plaquetopenia).

Homem Com Sangramento No Nariz Como Sintoma Da Síndrome Mielodisplásica

“Isso pode acontecer em graus variados e de forma desigual em diferentes pacientes. Isto é, alguns vão ter redução de todas as células, outros só redução de plaquetas, outros só dos vermelhos e assim por diante”, ele esclarece.

Por conta dessa deficiência de células sanguíneas, geralmente os sintomas de síndrome mielodisplásica são:

  • Febre;
  • Cansaço excessivo;
  • Sangramento no nariz ou na gengiva;
  • Petéquias (manchas roxas) nas pernas e
  • Infecções constantes

Também é possível que a pessoa apresente sudorese noturna e perda de peso sem motivo aparente. Por outro lado, há ainda os pacientes que não manifestam nenhum sintoma e descobrem que estão com a doença por meio de exames de rotina. O mais provável é que esses casos assintomáticos aconteçam quando a doença ainda está mais leve e inicial.

 Como é feito o diagnóstico da SMD?

Inicialmente, faz-se um hemograma, exame de sangue completo, para avaliar a quantidade das células sanguíneas. Como a queda dos glóbulos brancos e vermelhos e das plaquetas pode ocorrer por diversos motivos, é preciso fazer uma investigação mais aprofundada. Assim, pode-se ter um diagnóstico diferencial, descartando a possibilidade de outras causas e doenças.

Médicos Avaliando As Células Sanguíneas

Dessa forma, o médico também costuma solicitar exames laboratoriais básicos, como sorologia e testes para avaliar a função do rim e do fígado.

“Ainda devemos fazer um exame de medula óssea com biópsia e uma avaliação genética. Com isso, vemos todas as mutações que o paciente tem, por meio do exame de cariótipo e exame de painel de mutações”, o Dr. Pires conta.

Tratamentos para síndrome mielodisplásica

A terapia escolhida varia de acordo com o risco da SMD e com a presença, ou não, de determinadas mutações.

Para a síndrome mielodisplásica de baixo risco, são utilizados medicamentos chamados de “fatores de crescimento”. Essas drogas são responsáveis por estimular a medula óssea a produzir mais células sanguíneas.

Paciente Fazendo Infusão De Um Medicamento Para Tratamento Da Síndrome Mielodisplásica

“Em alguns casos específicos, como na SMD com deleção do 5Q, é indicado tratamento com um medicamento oral chamado Lenalidomida”, o médico fala.

Já no caso da doença de alto risco, a recomendação é realizar ou o transplante de medula óssea (TMO) ou fazer o tratamento com drogas quimioterápicas de baixa intensidade, chamados de agentes hipometilantes. Por exemplo, Azacitidina e a Decitabina.

Entretanto, o Dr. Pires descreve que, “na maioria das vezes, fazemos as duas coisas. Entramos com Azacitidina, ou Decitabina, para controlar a doença e, caso o paciente tenha condições clínicas e melhorado um pouco, encaminhamos ele para realizar um TMO. ”

A síndrome mielodisplásica tem cura, mas isso somente é possível quando é feito o transplante de medula óssea. Sendo que as chances de cura dependem do estágio da doença e das alterações genéticas. Mas, na maioria dos casos, há uma probabilidade de 50% de cura para o paciente com SMD que realizou o TMO antes da doença evoluir para uma LMA.

Leia também:

A síndrome mielodisplásica é um câncer?

A resposta não é tão simples quanto “sim” ou “não”. De acordo com o hematologista, ela é um câncer. “Não é uma doença benigna, ou uma deficiência de nutriente, uma doença autoimune ou uma infecção. É uma neoplasia”, ele diz. O problema, entretanto, é que na Onco-Hematologia, o conceito de doença benigna ou maligna não é tão claro quanto em tumores sólidos.

Pessoa Fazendo Uma Pergunta Para O Médico

“Nos tumores sólidos, você fala ‘o mioma é um tumor benigno do útero’”, o Dr. Pires exemplifica. Isso quer dizer que aquele câncer não irá se espalhar para outros tecidos e órgãos.

“Na SMD, poderíamos até argumentar que algumas formas são muito indolentes e estão muito no começo do processo neoplásico. Nesses casos, poderíamos, talvez, dizer que é uma doença benigna. Mas eu prefiro, quando converso com os pacientes, explicar que é um tipo de câncer de menor grau de agressividade nesses casos mais iniciais. Porque se você fala que é uma doença benigna, às vezes, você traz um conforto para o paciente que, infelizmente, não é para ter”, o especialista ressalta.

Ele complementa afirmando que, via de regra, essa é uma condição grave e séria e que deve ser encarada dessa forma, pois pode levar o paciente à morte. Por isso, é importante ter acompanhamento médico e seguir o tratamento corretamente. 

O Dr. Pires relata que, com os seus pacientes, quando a doença ainda está muito no começo, ele prefere falar que “é uma doença maligna, que está muito no início, nós estamos começando a tratar ela em uma fase muito inicial e, depois, com o passar do tempo, se evoluir, pode ser que a gente faça tratamentos um pouco mais intensos.”

Leia também:

Classificação da SMD

Ela é chamada de síndrome mielodisplásica primária quando surge sem o paciente ter outra doença ou exposição quimioterápica prévia. Ou seja, o paciente descobre a doença nos exames de rotina ou começa a apresentar os sintomas, procura um médico e recebe o diagnóstico.

Profissionais Da Saúde Avaliando As Células Do Sangue Para Classificar A Sindrome Mielodisplásica

Já no caso da síndrome mielodisplásica secundária, acontece quando a pessoa já fez algum tratamento com quimioterapia ou tem uma doença hematológica. Por exemplo, a policitemia vera, trombocitemia essencial ou anemia aplásica.

“Então, nesses casos, é uma progressão de uma doença hematológica anterior. Via de regra, as doenças hematológicas que são secundárias tendem a ser mais graves porque é uma célula que está mais doente há mais tempo”, o médico explica.

Há ainda a classificação da Organização Mundial da Saúde, que separou a doença em sete categorias. Sendo elas:

– Citopenia Refratária com Displasia Unilinhagem (CRDU)

– Anemia Refratária com Sideroblastos em Anel (ARSA)

– Citopenia Refratária com Displasia Múltipla (CRDM)

– Anemia Refratária com Excesso de Blastos-1 (AREB-1)

– Anemia Refratária com Excesso de Blastos-2 (AREB-2)

– Síndrome Mielodisplásica não Classificada (SMD-U)

– Síndrome Mielodisplásica Associada à Deleção Isolada do braço longo de Cromossomo 5

“Essa classificação tem a ver com as alterações que a SMD está causando na medula óssea do paciente, os tipos de células que estão alteradas, qual a magnitude da alteração e qual o prejuízo da produção do sangue. Isso nos ajuda a entender adequadamente qual o subtipo de SMD que o paciente tem e como tratá-lo da melhor forma possível”, o Dr. Fábio Pires informa. 


Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
60 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Estou muito interessada pois meu esposo esta com essa síndrome mielodisplasia estou sem chão não sei oque será de nos se haver alguém que e profissional nessa área por favor nos ajude indicando onde e como podemos fazer tratamento. Pois ele e motorista de ambulância da minha cidade estamos sem muito recursos se tiver um lugar onde podemos fazer tratamento me ajude por favor se vc for dessa área e puder fazer alguma coisa pra ajudar eu agradeço

Meu esposo foi diagnosticado com a síndrome da mielodisplasia estou. Muito preucupada gostaria de saber qual e o método de tratamento mais indicado pra ele pois ele só tem 54 anos sente cansaço e tem umas dores no corpo calafrios as vezes febril gostaria muito de um esclarecimento de como ser tratado moro no interior do Mato Grosso do Sul..se puder me ajudar até me indicando um lugar onde posso encontrar meios de tratar eu agradeço pois ele e motorista de ambulância da minha cidade estou super preucupada e com as mãos e pés atados sem saber oque fazer até agora ele tomou 3 bolsas de sangue emacias e agora ele tem dores nas pernas de vez em quando tem calafrios sente fraqueza efica febril gostaria muito que um profissional wue pudesse ajudar ou até mesmo me indicar como e esse tratamento e puder até me dizer como.posso conseguir pois nossa renda é muito pouco ele sempre trabalhou muito agora se sente de incapaz de realizar o trabalho até mesmo dirigir que é um dos maiores prazeres que ele tinha em realizar fica aqui torcendo pra que apareça alguém com o coração bom que possa fazer alguma coisas por nos des ja Agradeço muito de coração que Deus abençoe muito obrigada

Olá,

Meu parente foi diagnosticado com SMD esta semana. Ele tem 72 anos e mora em Portugal, precisamos de ajuda para encontrar um profissional nessa área de Hematologia no Brasil. Por favor nos ajude indicando aonde e como podemos fazer algum tratamento.

Meu esposo foi diagnosticado com essa doença preciso muito saber mais

Podem entrar em contato para eu tirar umas dúvidas

Boa tarde, minha mãe tem 72 é cardíaca e foi diagnostica com Síndrome Mielodisplasica com Displasia unilinhagem (MDS-ULD/OMS-2016, fez durante nove meses o tratamento com a Azacitidina e não houve sucesso, hoje esta com plaquetas entre 9000 a 12000, esta fazendo transfusão de plaquetas irradiadas por aférese, toda semana,não sei o que fazer, gostaria de saber se tem algum outro tipo de medicação

Boa noite

Acabo de ser diagnosticada com mielodisplasia…Fui encaminhada para o transplante. Agradeço as informações, muito esclarecedoras.

Meu irmão tem 17 anos e acabou de ser diagnósticado com mielodisplasia, ainda está aguardando vaga p consulta, quais os cuidados até sair a vaga ?

Meu filho tem 5 anos foi diagnosticado com smd. Se quiser conversar 88 997235917

Minha mãe tem 63 anos e acabamos de descobrir a doença, estou perdida ,sem entender direito , a médica disse que está avançada e está caminhando pra Leucemia , preciso entender mais sobre , preciso de ajuda

Boa noite Jussara, estou com minha mãe nessa situação que já foi diagnósticada a leucemia se quiser conversar estou a disposição.

Boa noite. Meu pai foi diagnosticado com síndrome Mieloplastica. Tem mais de um mês que recebe plaquetas e sangue mas sempre fica com febres frequentes. Não foi dado nenhum remédio. Qual tratamentl adequado para ele ? (ele tem 80 anos). Estou desesperada!

Olá, tenho 66 anos de idade e a seis meses fui diagnosticado com Mielodisplasia com seguimento de blastos mas com a demora só SUS, só comecei o tratamento a dois meses. Fui indicado para o hospital Amaral Carvalho de Jaú, mas até agora não obtive resposta. Os senhores teriam como me indicar o que devo fazer,pois infelizmente não tenho condição de fazer tratamento partícular.

Desde já agradeço pela oportunidade.
Cristiano Saldiva.

Gostaria muito de saber sobre essa doença. Minha mãe de 65anos foi diagnosticada. Queria saber sobre os tratamentos. Agradeço por qualquer orientação.

Moro em portugal e a pouco descobrimos que ele esta com essa doença, aparece muitas nódulas roxas no corpo e sagramento nasal, e plaquetas 10mil , palidez, so agora esta tomando ferro e acido úrico, disse a medica que mais tarde passara uns comprimidos para ele tomar , mas esta a demorar muito, isso é normal ? E NO CASO DELE PODE SER QUE JA ESTA GRAVE OU SE JA CAMINHOU PRA UMA LOCEMIA, E PORQUE OS MEDICOS NAO DIZEM COISAS COM COISA , DESDE JA AGRADEÇO .

Bom dia
Eu fui diagnosticada com essa doença e gostaria de saber mais sobre essa doença,pois estou perdida sem saber o que vai ser de mim no meu emprego se vão me mandar embora ou não. Se alguém puder me ajudar eu agradeço.

Boa noite, minha esposa foi diagnostica com sindrome mielodisplásica de baixo risco, com plaquetopenia crônica, a nossa luta começou depois de exames de rotina onde revelou o número de plaquetas muito baixo, fomos a dois hematologistas que não se interessaram pelo caso passando somente medicação não querendo saber a causa do problema e as medicações não surtiram efeito, mas graças a Deus foi indicado o nome de uma especialista que interessou pelo caso e chegou ao diagnostico sendo indicado a medicação com eltrombopague olamina 50mg ou revrolade 50mg, medicamento de alto custo, não temos condições financeiras para comprar o medicamento, estamos com ação na justiça, peço se tiverem uma maneira de ajudar a conseguir este medicamento nos oriente, pois a espera é angustiante e dá muito desespero.

Olá…boa noite! me chamo Tatiana, tenho 43 anos moro em limeira e a quase 2 meses fui diagnosticada c mielodisplasia ,comecei a fazer uso de azacitidina 100mg, tenho interesse em saber mais sobre a SMD…desde de já agradeço.

Boa noite. Meu pai foi diagnosticado com síndrome Mieloplastica. Tem mais de um ano e meio em tratamento sempre com medicamento: aranesp, vidaza, granuloquime e continuas transfusões de hemácias e plaquetas que já somaram 60 no total. Como nunca procurei uma segunda opinião sobre o caso e por ver que o processo não evolui.m, gostaria de ouvir vcs sobre o caso pois meu pai tem 79 anos e nunca teve sintomas. Estou desesperado com a situação e muito preocupado pois vejo que ele já está ficando desanimado. Me ajude por favor
!

Eu estou com (smd)

Boa noite. Descobri que tenho mielodisplasia. Meu baço esta aumentado. E sinto muitas dores.

Boa tarde ,me chamo Maria ,e o Mielograma :Hipocelular ,mais que 10% das células são displasica(hipogranulação citoplasmática).isso na série branca do sangue.A médica disse que só não vai me encaminhar para um tratamento porque os meu leucócitos estava acima do valor de referência .Gostaria de saber se isso é grave .?

Boa tarde. Espero que todos estejam bem. Descobrimos em dezembro que minha mãe está com smd. Começou tratamento agora no hospital Regional em outra cidade com eritropoetina para aumentar os glóbulos vermelhos. Está fazendo transfusões sanguíneas com regularidade. Alguém para me esclarecer se pode ser somado a eritropoetina alguma outra medicação ?

Bom dia.

Fui diagnosticada com mielodisplasia secundária, não foi indicado nenhum tratamento a principio, porém após leitura desse artigo, vislumbro que o correto é iniciar uma tratamento para não haver o agravamento da doença. Como posso fazer/…

tive isso em 2018, leucócitos e plaquetas baixíssimas, anemia super avançada, me curei em poucos meses com uma boa alimentação e tomando os medicamentos certinhos!

no começo estavam cogitando p começar a fazer transfusão de sangue, mas não precisei! quem tem ou sofre disso é só fazer tudo certinho que tem cura sim!

você foi diagnosticada com SMD? Qual o médico que tratou de você?

A síndrome Mielodisplásica (SMD) pode ter CURA apenas com medicação ou só com TMO?

Minha mãe foi diagnosticada com a síndrome mielodisplasica não especifica estou muito preocupada pois o SUS é muito lento e não tenho condições de fazer um tratamento particular e até começar o tratamento fica fazendo transfusões de sangue isso me deixa muito aflita

Olá boa noite! Estou com algumas alterações no hemograma. Hemoglobina 8,9 e na observação do exame deu ( Presença de raros neutrófilos hipersegmentados) alguém poderia me dizer se esse resultado pode estar ligado a essa doença?? Pois tenho anemia dez de 2020

Meu tio foi internado e o sangue dele está virando água,mais foi feito a biopsia e não deu câncer oque pode ser.

Eu sofro dessa doença baCelula.
Cromossomo 5 responsável pela fabricação do sangue.
Dependente totalmente do medicamento
Lenalidomida 10 Mg . Fiz um Ano de
Tratamento continuo com essa medicação qywbi felizmente por ser de Alto y no Brasil tudo se torna difícil para dificultar a vida decqtem precisa e não tem condições.
Recebi disse mensais deste medicamento e meu organismo reagiu muitíssimo vem estou me sentindo outra pessoa.
Porém sou dependente desse medicamento e a Byrricracu deste miserável Pais impressiona.
Muitos mirre..pircfajta de Humanidade e falta de respeito com a zvuda.
Eu dependo veste remédio na Lê ali de
10 Mg. A minha chefe médica Hematologia di Hospital das Clínicas né sugeriu e fez um r
relatório para a A raje me Liberar esse medicamento sou dependente.
Ou morrer i que não conduz com a Legislação atual e as Meus deste País.
Estou me apresentando pessoalmente na Avraje com o Diagnóstico a medicação a mim concedida no Japão por mais um mês apenas.
Vou correr atrás mover Céus e Terra é um direito meu vc e se precisar vou até a imprensa para desvendarbpirqye de tantas dificuldades para s conseguir o que é de direito meu.
Preciso desse medicamento né dak ente receituário da Dra.Elvira a Médica Hemato e Chefe responsável pela Centro de Hematologia do Hospital das Clínicas São Paulo.
Caso precisar vou mover uma Ação Judicial de Urgência para o meu Caso como de tá ris outros pacientes que estão morrendo.
Eu tenho o direito a receber essa medicação gratuita por Lei Federal renovada em portaria este A o pelo Sr Presidente Luis Inácio Lula da Silva
Presidente da República.
Comigo não haverá de ira bem descaso.
Se precisar vou até Brasília procurar o
Ministério da Saúde através da Secretaria de
Saúde di Estado de São Paulo.
Eu vou Atrás e orivarcqye tênis esse direito garabrydinpir Lei.
Medicamento de Alto Custo mesmo importado. O SUS é obrigado por Lei a fornecer gratuitamente.
Posso Provar.

María do Socorro Vieira da Silva
CPF 855.883.778-34
Estarei na quarta feira junto a Unidade da
Abrale em Pinheiros, pois moro na Zona Oeste.
Estou aguardando a tradução na Associação Japonesa ba Liberdade.
Gratuitamente.

Meu endereço:
Rua Henry Michael Thau, 375. Apto 23A
Jardim Raposo Tavares São Paulo -SP
CEP – 05563-060

Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top