skip to Main Content

Sintomas de mielofibrose: por que eles acontecem?

Mulher Com Dor Do Lado Esquerdo Do Abdome Devido Ao Baço Aumentado
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Mesmo as manifestações mais comuns costumam gerar dúvidas nos pacientes com esse câncer, porque nem sempre são específicas ou se apresentam da mesma forma. Mas é essencial compreendê-las para entender a doença

Escrito por:

Natália Mancini

Dentre os principais sintomas de mielofibrose está o inchaço na região da barriga por conta do aumento do baço e do fígado. Na maioria das vezes, esses dois órgãos são os que mudam de tamanho, mas outros elementos do organismo também podem sofrer essa alteração. Por outro lado, nem sempre, no momento do diagnóstico, essa manifestação está presente. Também é importante ressaltar que, não obrigatoriamente, este inchaço indica que a pessoa está com a mielofibrose. Por isso, entender o porquê cada sintoma acontece é fundamental para identificar precocemente esse câncer e tratá-lo o mais rápido possível.

Sintomas de mielofibrose

Os mais frequentes são:

  • Aumento do baço (esplenomegalia) e do fígado (hepatomegalia), acompanhado de dor e/ou volume abaixo das costelas do lado esquerdo
  • Cansaço excessivo e progressivo
  • Anemia
  • Febre
  • Perda de peso e de apetite 
  • Falta de ar
Leia também:

Causas do aumento do baço

O Dr. Marcelo Capra, médico hematologista do Hospital Mãe de Deus, explica que a esplenomegalia e a hepatomegalia, na mielofibrose, acontecem porque, no início da vida intrauterina, esses eram os órgãos responsáveis por produzir o sangue. Assim, quando a fibrose passa a ocupar o espaço da medula óssea e interfere na produção de sangue, o baço e o fígado voltam a realizar essa tarefa. 

Comparação De Uma Pessoa Com O Baço Normal E Outra Com O Baço Aumentado Como Um Dos Sintomas De Mielofobrose

Além disso, também é possível que a fibrose se encontre dentro desses órgãos.

“Então, esse aumento de tamanho decorre por dois motivos: da fibrose, que pode acontecer nesses órgãos, e também da volta deles, na tentativa de produzir sangue”, diz o médico.

É comum que esse crescimento cause dor ou algum tipo de desconforto, mas nem sempre isso ocorre. O motivo, conta o Dr. Capra, é porque essa mudança pode acontecer lentamente. Dessa forma, os órgãos do abdome e da barriga são empurrados para o lado e vão se acomodando, fazendo com que o paciente não sinta dor. 

Mas, quando o aumento se desenvolve rapidamente, a tendência é que os outros órgãos, como o estômago, fiquem comprimidos. 

“Isso pode levar ao desenvolvimento de outros sintomas de mielofibrose. Um exemplo comum é o paciente se alimentar com pouca quantidade e já se sentir saciado. Isso acontece porque o estômago é apertado, é como se ele ficasse menor, e isso faz com que o paciente se alimente pouco e logo esteja satisfeito”, ele esclarece.

Há ainda casos em que a pessoa não apresenta o aumento do fígado e/ou do baço no momento do diagnóstico.

“Nem sempre o baço está aumentado, especialmente em fases iniciais da doença. Com o decorrer da mielofibrose, a tendência, em geral, é que passe a ficar maior, mas nem sempre, especialmente, em fases iniciais, ele está aumentado”, pontua o hematologista.

Esse sintoma é sempre de mielofibrose?

Não, o inchaço do baço também pode  acontecer devido à  infecções, doenças inflamatórias, ingestão de certas substâncias, outros cânceres (do próprio órgão, linfoma de Hodgkin e leucemia), doenças autoimunes, lesões e outras.

Ilustração De Uma Doença No Baço

Já o aumento do fígado também pode estar relacionado a distúrbios hepáticos, por conta do uso excessivo de álcool,  insuficiência cardíaca congestiva, doença de armazenamento de glicogênio, hepatite viral, câncer de fígado e esteatose (gordura no fígado).

Por isso, ao perceber esse sintoma, é indispensável procurar um médico para fazer uma avaliação completa e identificar o que está acontecendo.

Leia também:

Causas do cansaço excessivo

O cansaço em excesso, como um dos sintomas de mielofibrose, tem diversas causas, sendo um dos principais a anemia. O Dr. Capra informa que essa manifestação também está relacionada à ocupação da medula óssea pela fibrose. Como a produção das células sanguíneas fica comprometida, há uma baixa quantidade de glóbulos vermelhos, o que leva ao desenvolvimento da anemia. Ela, por sua vez, causa o cansaço e a fraqueza.

Mulher Ao Lado De Uma Bateria Que Está Acabando Para Indicar Cansaço Excessivo Representando Um Dos Sintomas De Mielofibrose

“Outro motivo é que nessas doenças, todo o sistema imunológico libera uma série de substâncias que podem levar ao cansaço e à fraqueza, sintomas constitucionais”, ele complementa. 

Devido ao fato dessa doença interferir na fabricação do sangue, o hemograma é de extrema importância para o diagnóstico.  

O resultado do hemograma de paciente com mielofibrose geralmente aponta:

  • Aumento dos glóbulos brancos (leucocitose)
  • Aumento de formas granulocíticas maduras, como metamielócitos, mielócitos
  • Eventualmente a presença blastos
  • Presença de formas jovens da série vermelha, como eritroblastos
  • Aumento de plaquetas, como trombocitose
  • Alterações na forma dos glóbulos vermelhos, como hemácias em gotas

“Em uma fase em que a doença está mais avançada, pode gerar o aumento do número de blastos e pode começar a diminuir a quantidade de algumas células. Um paciente que tinha, por exemplo, um número de plaquetas e, depois de um tempo, começa a ter uma diminuição de plaquetas, indica a progressão da doença e que a fibrose está ocupando mais a medula óssea. Por isso, as contagens podem diminuir. A pessoa poderia achar nessa situação que está melhorando, mas pode estar piorando”,  o Dr. Marcelo Capra afirma.

Ele ainda fala que quando a mielofibrose evolui para uma leucemia, o exame de sangue indica um aumento significativo no número de blastos, uma anemia mais intensa e queda mais acentuada do número de plaquetas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top