skip to Main Content

Infecção bucal durante o câncer deve ser prevenida

Como Cuidar De Infecção Bucal Durante O Tratamento Do Câncer
Compartilhe

O comitê de odontologia da Abrale explica por que esse quadro é perigoso e como evitá-lo

Escrito por:

Natália Mancini

Uma infecção bucal pode se desenvolver por diferentes motivos. Elas também podem ser graves e é possível que até interfiram no tratamento contra o câncer. E, apesar de existirem diversas possíveis soluções, manter os dentes, as gengivas e a língua limpos são a melhor forma de evitar que o quadro apareça.

Tanto a quimioterapia, quanto a radioterapia tendem a causar imunossupressão nos pacientes oncológicos. No caso das pessoas com doenças onco-hematológicas, o sistema imunológico é ainda mais afetado, especialmente durante a fase de preparo para o transplante de medula óssea.

Essa queda na imunidade, também conhecida como neutropenia, facilita o aparecimento de manifestações orais. Especificamente em relação ao tratamento quimioterápico, a neutropenia aparece alguns dias após o início do ciclo. Com isso, infecções bacterianas, fúngicas e virais têm muita facilidade de se instalar e causar sintomas mais intensos.

Outro fator que tem bastante influência no aparecimento das infecções orais é a xerostomia, que é a alteração da quantidade e qualidade da saliva

“A saliva desempenha um papel crucial na manutenção da saúde bucal, atuando na integridade dos dentes, fortalecendo o esmalte dental, evitando a formação de cáries, mantendo um ph neutro e inibindo a atividade microbiana. Também tem a função de limpeza, removendo os detritos alimentares que ficam aderidos aos dentes, de hidratação e proteção da gengiva e da mucosa bucal, que ajuda na manutenção da integridade das células e auxilia na digestão e deglutição”, diz Wolnei Santos Pereira, coordenador do Comitê de Odontologia da ABRALE.

Assim, quando o paciente tem xerostomia, todos esses pontos são afetados e a boca fica mais vulnerável a infecções, além de também poder interferir na qualidade de vida.

Principais infecções orais

Quando juntamos a presença dos vírus com fatores ambientais, com a higiene oral insatisfatória, há uma preocupação ainda maior.

Independentemente de qual agente é o responsável por causar a infecção bucal, quando esse quadro ocorre, é possível que os resultados do tratamento oncológico em si, sejam prejudicados. Além disso, pode causar complicações sistêmicas importantes, aumentando o tempo de internação, os custos do tratamento e afetando a qualidade de vida do paciente

Infecções Bucais Em Pacientes Oncológicos

Veja algumas delas:

  • Infecção fúngica por candida albicans (candidíase)

Ocorre com frequência em pessoas que estão em tratamento contra o câncer devido a alterações na flora bucal, xerostomia e imunossupressão. Podem gerar quadros graves, dependendo do caso e estado clínico do paciente.

  • Infecções virais pelo vírus do grupo da herpes

Podem ocorrer também por reativação de vírus latentes e outros grupos de vírus que causam lesões bucais.

  • Infecções bacterianas

Acontecem por causa do crescimento excessivo de microorganismos que invadem a boca, causando abscessos e inflamações importantes.

Leia também:

Cuidados com a infecção bucal no pós-tratamento oncológico

Geralmente, quando a quimioterapia chega ao fim, ela não deixa efeitos residuais no corpo. Então, os pacientes tendem a não ter novas infecções bucais por causa desses medicamentos.

Por outro lado, no caso da radioterapia, ela tem um efeito cumulativo e quanto mais longo o tratamento e mais alta a dose, maiores serão as reações adversas

no local. Portanto, visitas regulares ao cirurgião dentista, mesmo depois do fim das sessões, são muito importantes para a prevenção e o tratamento dessas condições.

Como Cuidar De Infecção Bucal

6 hábitos para prevenir infecções bucais

  1. Realizar avaliação odontológica antes do início da quimioterapia ou da radioterapia
  2. Escovar os dentes com escovas de cerdas macias, ou ultramacias, após todas as refeições
  3. Passar delicadamente o fio dental, pelo menos uma vez por dia
  4. Manter-se bem hidratado
  5. Fazer uso de saliva artificial e/ou lubrificantes orais, para manter a mucosa protegida
  6. Usar protetor labial à base de água para evitar o ressecamento

Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Natália Mancini

Back To Top