skip to Main Content

A terapia ocupacional cuida de você por inteiro

Criança Com Câncer Fazendo Terapia Ocupacional
Compartilhe

Ela ajuda na reabilitação do paciente com câncer, seja nos aspectos físicos, sociais e emocionais

Escrito por:

Tatiane Mota

O diagnóstico de um câncer costuma gerar impactos sociais, emocionais e também físicos ao paciente. Tratar cada um deles não só é uma necessidade, é um direito. O paciente oncológico precisa ser visto como um todo. Tratar a neoplasia é prioridade. Mas nem por isso as mudanças no corpo, na mente e, principalmente, no cotidiano, devem ficar em segundo plano. É por meio da terapia ocupacional que cada uma dessas funções recebe a atenção adequada

O que é terapia ocupacional?

De acordo com Walkyria de Almeida Santos, terapeuta ocupacional especialista em contextos hospitalares e membro do Comitê de Terapia Ocupacional da Abrale, essa é uma importante área de estudo e pesquisa, que se baseia nas ocupações humanas e de como elas impactam as esferas em saúde, educação e sociais, de todos os indivíduos nos diversos ciclos da vida.

Tipos De Terapia Ocupacional

“Terapia ocupacional forma terapeutas ocupacionais, assim como a medicina forma médicos. Ela compõe, junto à equipe multiprofissional assistencial, os cuidados do paciente oncológico. Nas áreas ambulatorial, hospitalar, domiciliar e nas diversas fases do tratamento, ou seja, do diagnóstico até o fechamento do caso, seja para alta ou cuidados paliativos”, explica.

Leia também:

Quando se aplica no câncer?

O paciente oncológico apresenta particularidades, seja por conta dos diferentes tipos de câncer, que se apresentam de maneiras diversas; do tipo de tratamento aplicado; da maneira como encara toda a situação; e das implicações físicas e sociais que a doença pode lhe trazer.

É importante dizer que a terapia ocupacional oferece cuidados ao indivíduo adoecido, mas não é anti-neoplásica. 

Diversas Pessoas Juntando Peças De Um Quebra-cabeça Simbolizando As Várias áreas Que A Terapia Ocupacional Trabalha

“A medicina se ocupa disto, e os terapeutas têm expertise em lidar com todos os problemas de ordem ocupacional que surgem pela doença e seus tratamentos. Por exemplo, uma criança que parou de escrever por estar enfrentando um tumor cerebral que afeta seus movimentos, na terapia ocupacional pode encontrar uma forma de recuperar, adaptar e trazer a função de escrita de volta. Os estudos e outras atividades próprias da infância vão demandar esse papel ocupacional importante da escrita”, comenta Walkyria. 

Terapeuta ocupacional em ação

São diferentes as atividades que o terapeuta ocupacional pode sugerir ao paciente oncológico. Exercícios que ajudam a controlar dores e incômodos, por meio de um melhor posicionamento na cama ao dormir ou a postura certa ao se sentar é um deles. Há ainda os exercícios que trabalhem a respiração, quando o paciente sentir falta de ar, atividades que facilitem no momento de se alimentar e até mesmo durante os períodos de internação, dentre muitas outras. 

Terapia Ocupacional Para Pessoas Com Câncer

A terapeuta Walkyria lembra, no entanto, que cada paciente deve ser avaliado de maneira individual. “Consultar o terapeuta ocupacional sempre é o mais indicado. A missão é ver as necessidades do indivíduo. Não existe algo que se possa recomendar de forma geral, mas com certeza já sabemos que as pessoas em tratamento perdem temporariamente e até definitivamente alguns papéis ocupacionais relevantes em suas vidas, e o único profissional capacitado para cuidar deste aspecto é o terapeuta ocupacional”.

O objetivo central é prover apoio para a independência e autonomia, para que o paciente possa gerir suas atividades básicas e instrumentais no dia-a-dia. “Os benefícios são claros, uma vez que conseguimos apoiar na recuperação de sintomas da doença e tratamento que atinjam negativamente as funções ocupacionais, e que façam sentido para o paciente

Leia também:

Terapia ocupacional no SUS

Pacientes que realizam o tratamento tanto no sistema privado, quanto no sistema público, têm acesso à terapia ocupacional. A terapeuta Walkyria Santos conta que o SUS (Sistema Único de Saúde) provê a terapia ocupacional em seus programas federais, estaduais e municipais: Saúde Materno Infantil, Saúde Mental, Centros de Assistência Psicossocial, Centros Especializados de Reabilitação (CER 1, 2, 3 e 4), Saúde do Idoso, além das diversas inserções nos serviços hospitalares.

Rede De Assistência Médica

“Somos muitos os profissionais da área, espalhados pelo Brasil. Especificamente com relação aos pacientes oncológicos, a Rede de Assistência ao Câncer (a Rede Hebe Camargo), absorve a clientela do SUS em vários serviços onde já existe o tratamento de terapia ocupacional na equipe.” 


Compartilhe
Receba um aviso sobre comentários nessa notícia
Me avise quando
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Escrito por:

Tatiane Mota

Back To Top